Ser um bipolar

Ser um bipolar

Ser um bipolar

É odiar quem você ama
Maltratá-lo tanto… E se arrepender tão amargamente, como o veneno de uma serpente.

É não saber quem você é, o que realmente quer,
Mesmo que o mundo todo te disser…

É ser tão sábio e tão tolo tão igualmente
Que facilmente o pratica mentalmente.

É não dormir, só dormir
Sorrir e te fazer sorrir.

Se iludir e te persuadir sem você ao menos interferir,
Ferir-te e me ferir…

Chorar até as lagrimas secarem
Acordar como se fosse “dono dos sete mares”
É estar bêbado sem frequentar bares…

É ver meus neurônios torrando
É sentir me afogando
E estar só boiando.

É pensar primeiro
Acordar por ultimo
E se sentir sempre um inútil.

Sentir que a solidão habita em você,
Que com você este todo o poder,
De só querer e acontecer…

É pensar que nunca posso te perder
Pois sem você eu posso perecer.

É ter uma mente tão grande que não cabe no corpo.

É ser extremamente inteligente… Coerente
Ser tão indiscreto que chega a ser indecente
Ser tão elegante que te deixa ofegante.

É te matar de inveja,
Igual quando o céu troveja,
E atrapalha quem veleja.

É ser tão carente,
Que sem perceber derrepente,
Acabo me achegando a “Dementes”.

É ser tão ausente
Até ser transparente…

É não ter nenhum confidente,
Para dizer… …
Estou Extremamente Doente.

–Leila Oliveira.


2 thoughts on “Ser um bipolar

Comente: