Não há nada pra onde tu vais

Não há nada pra onde tu vais

Considerei no meu coração todas estas coisas, para declarar tudo isto:

Que tanto os justos, e os sábios, e as suas obras, não conhece nem o amor nem o ódio, tudo passa perante ele.
Que tudo sucede igualmente a todos, ao justo e ao ímpio, ao bom e ao mal, como ao puro e o impuro.
Este é o mal que há entre tudo e todos debaixo do sol, a todos sucede o mesmo.
Que o coração dos homens está cheio de maldade, e que há desvarios no seu coração enquanto vivem, e depois se vão aos mortos.
Que para aquele que está entre os vivos há esperança (melhor é o cão vivo do que o leão morto).
Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem de coisa alguma.
Também o seu amor, o seu ódio, e a sua inveja já pereceram, e já não têm parte de coisa alguma para sempre.
Vai, coma e bebe com alegria, goza a vida com quem amas todos os dias da tua vida vã, porque esta é a tua porção na vida.
Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.
E vi debaixo do sol que não é dos ligeiros a carreira, nem dos fortes a batalha, nem dos sábios o pão, nem dos prudentes as riquezas, nem dos entendidos o favor, mas que o tempo e a oportunidade ocorrem a todos.
Que também o homem não sabe o seu tempo, assim se enlaçam no mau tempo, quando cai de repente sobre eles.
Também vi sabedoria debaixo do sol, que para mim foi grande.
Então eu digo, melhor é a sabedoria do que a força, ainda que a sabedoria do pobre for desprezada, e as suas palavras não forem ouvidas.
As palavras dos sábios devem em silêncio ser ouvidas, mais do que o clamor do que domina entre os tolos.
Melhor é a sabedoria do que as armas de guerra, porém um só pecador destrói muitos bens.

(Texto Baseado em Eclesiastes 9)

 

 

Categoria: Cemitério Maldito



Publicado por: Wellington Pragidi

Apelido: Well


Comentar: