Começou como um vazamento

Começou como um vazamento

A estação chuvosa começou no início do verão, e junho não havia sido exceção. O homem não se surpreendeu quando descobriu a água da chuva pingando do teto da sala de jantar. Chovia muito fora então, ele colocou uma panela alta sob o vazamento tendo esperança que ela parasse por conta própria. No entanto, continuou a chover, e antes que ele percebesse, o pote estava ameaçando transbordar. A primeira coisa que ele fez pelo dia foi despejar a água e logo ir para o trabalho.

Depois de um tempo eventualmente, ele começou a notar danos da água na origem do vazamento. O teto branco tinha descolorido, tornando-se uma grande mancha marrom. Ele verificou o tempo e percebeu que continuaria a chover esporadicamente pelo mchuvas_rn_0enos nos próximos dez dias. O homem estava preocupado com o teto percebendo que o reparo iria se torna caro, então ele chamou alguém para conserta o vazamento.

Infelizmente, o homem não poderia assinar para ter o reparo feito – só o senhorio poderia fazer isso. Era uma política frustrante. O homem vez varia ligações para seu senhorio, mas não conseguiu contata-lo. Deixou-lhe algumas mensagens de voz, detalhando como o dano estava se tornando progressivamente pior. O homem não tinha noção de por que seu senhorio não retornaria seus telefonemas; Eles geralmente mantinham contato, falando pelo menos duas vezes por mês. Finalmente, ele argumentou que ele não seria responsabilizado por quaisquer danos sofridos.

Uma n
oite, o homem acordou assustado por ouviu uma batida maciça. Ele rapidamente ligou sua lâmpada de cabeceira, e foi verificar oque estava acontecendo, quando ele chegou no lugar onde ouviu a batida viu apenas vagamente oque tinha no local, ele podia ver uma mesa virada e uma grande forma estendendo-se sobre ela. Ele correu para fora de seu apartamento e chamou a polícia, engasgando com o cheiro.

Minutos depois a policia chegou e logo o homem estava sentado na delegacia com um cobertor enrolado nos ombros e uma caneca de café descansando em suas mãos. Ele sabia de uma coisa. Havia um corpo morto em seu teto, e a água tinha saturado tanto o teto que ele não resistiu e caiu com o peso que avia sobre ele.  Até agora, o corpo não foi identificado devido à água da chuva que dificultou a autopsiado. Enquanto o homem esperava, ele ligou para seu senhorio e finalmente o alcançou, entrando em pânico enquanto explicava a situação. Seu senhorio estava tão alarmado, e o homem implorou para ele vir para a estação enquanto ele fazia sua declaração. O homem fez uma pausa quando um detetive se aproximou dele, baixou o telefone, e perguntou se o corpo havia sido identificado. Seu sangue gelou imediatamente, e ele balançou a cabeça com terror. O corpo pertencia a Richard Thompson, seu senhorio, ele havia morrido há mais de um ano. Não foi isso o que mais o perturbou. Mas sim se seu senhorio estava morto, quem estava fingindo ser ele esse tempo todo?

 

Categoria: Creepypasta, Terror



Publicado por: Samuel Pedro

Apelido: Samuel Pedro


Comentar: