Caos, o deus Grego primordial

Caos, o deus Grego primordial

Caos, o deus Grego primordial, também conhecido como o deus da desordem.

Na mitologia grega segundo Hesíodo, o primeiro deus primordial a surgir no universo, portanto a mais velha das formas de consciência divina. A natureza divina de Caos é de difícil entendimento, devido às mudanças que a ideia de ‘caos’ sofreu com o passar das épocas.

Seu nome deriva do verbo grego khaínô, que significa separar, ser amplo, significando o espaço vazio primordial. Caos é aquela confusão de elementos que se supõe ter existido antes da criação do mundo, sobre o qual se assenta o próprio nascimento do mundo. Caos representava, uma forma indefinida e desorganizada, onde todos os elementos encontravam-se dispersos, e uma divindade rudimentar capaz de gerar.

Tal como a Terra em seus tempos originais, nele estavam reunidos os elementos que compuseram todos os seres, mortais e imortais. De Caos nasceram Nix e Érubus e ambos uniram-se para a geração de novas deidades. Os filhos de Caos nasceram de cisões assim como se reproduzem os seres unicelulares.

No próprio Caos havia, entretanto, a força capaz de trazer-lhe ordem: Eros, tão antigo quanto os próprios elementos dispersos no Caos. Junto a ele, também Anteros. São forças de coesão e separação, espécie de yin e yang na visão grega dos primórdios.

Tanto Caos como os seus irmãos são forças geradoras do universo. Caos parece ser uma força catabólica, que gera por meio da cisão, assim como os organismos mais primitivos estudados pela biologia. Caos significa algo como corte, rachadura, cisão ou ainda separação.

Categoria: Mitologia



Publicado por: Wellington Pragidi

Apelido: Well


Comentar:

2 comentários em “Caos, o deus Grego primordial